sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sampa

 foi assim que avistei Sampa na minha chegada: preta e branca. eram milhares de tons de cinza, matizes de branco, camadas de preto. aos poucos, meus olhos foram se acostumando às sombras, aos contrastes dramáticos da cidade. de repente, milhares de pontos vermelhos, num vai e vem incessante, passaram a colorir a cena. como se minutos antes não estivessem ali. era o sangue vivo percorrendo as veias do grande centro. era meu corpo dentro de outro, maior e mais complexo. era Sampa me colorindo aos poucos.

3 comentários:

Thi!!! disse...

Naiii!!
Parabéns pelo seu blog amada, está muito interessante e gostoso de ler. Ja estou te seguindo!! bjaoooo com muita saudade!!
Thi

Mariana Camardelli disse...

nai, teu blog esta cada dia mais incrivel.
aproveita SP, o Mestre, tudo que vc puder.
estamos cuidando bem da escola, rss....
beijos com carinho,
Mari.

Ju disse...

"...é que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi da dura poesia concreta de tuas esquinas..."
Nai,adorei o seu texto,bem como o blog.Demais!!!!